Segunda-feira, 8 de Abril de 2013

Se o sangue não te corre nas veias...

 

Parece-me que a pior crise que este país e este mundo vivem é a crise de valores ou prioriades, como lhe quiserem chamar. Daqueles que têm e querem mais ainda sem olhar a meios e daqueles que não têm, mas acham-se no direito de ter e pior ainda, maldizem daqueles que têm aquilo que eles próprios desejam... Mas que filosofia de vida está a nascer hoje em dia, ou deverei dizer, desde sempre? Tanto se fala na irracionalidade animal e na sua falta ou não de sentimentos e ninguém ainda olhou bem para si próprio, constatando a (falta de) emoção que deveria correr-lhes nas veias, justificando-a pelo mundo frio e cruel que nos assola a cada dia.

 

Alguém já se lembrou de simplesmente viver? Viver, sim! Viver, sentir, deixar um pouco de si em tudo o que faz. Parar de reclamar a toda a hora daquilo que não lhe dão e agarrar-se com unhas e dentes àquilo que faz o seu corpo tremer? Alguém? Eu também gostava de muita coisa, mas aprendi que se quero então tenho de trabalhar para isso. E aprendi que não é o governo, a troika ou o BCE que me vão dar o que quero. Aprendi que o mundo, todos os dias gira da mesma forma e que o Sol ainda aparece a cada manhã e desaparece a cada anoitecer. Aprendi que destino só existe aquele que eu traçar. E sim, estamos condicionados às voltas que a terra dá, mas dentro desta condição, ainda existem muitas opções que só a nós cabe tomar.

 

Todos temos de procurar encaixar onde há espaço para nós ou criar um espaço novo e desenvolvermo-nos nele. Não vale a pena gritar que queremos aquele lugar, se não há modo de caber nele... Não vale a pena chorar até conseguir ou lamentar-se de má sorte... Vale a pena erguer-se, lutar e alcançar o nosso oásis, com a nossa determinação, nunca perdendo a fé e a esperança, fechando a porta à segurança e enfrentando as trevas do incerto. Vivemos num  mundo que muda a cada dia que passa e somos responsáveis por escolher se entramos no comboio ou se ficamos parados à espera "do" comboio que...

 

Viajar em 1ª classe deve ser bem confortavel, seguro e aconchegante, mas a vida só comporta um dia: HOJE. Pois é, a vida é hoje, agora, neste preciso momento. Vão escolher ficar à espera das vossas condições ideais ou vão dar o passo? Eu cá decido finalmente, dar o passo para o abismo. Sabendo que tudo irá correr bem, porque sou capaz de me adaptar ao que o acaso me atirar. Decido que sonhar é viver e viver é amar. Mais nada. Apenas isso importa. Tudo o resto advém daí e tudo o resto um dia será meu, até que descubro, a cada dia, que o que tenho já é meu.

 

Para viver, é preciso transpirar paixão. Só assim a nossa presença tem significado, só assim poderemos deixar a nossa marca, só assim tudo vale a pena.

 

Como diria a Dory "basta nadar, basta nadar..."

publicado por murimendes às 15:06

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Ainda acreditas na Magia?

. Estilo de Vida Positivo d...

. Porque não, ser a solução...

. A sobrevivência do mais a...

. Talvez não tenha de acaba...

. Maternidade ou Felicidade...

. Do sonho à realidade

. Obrigatório viver pela me...

. Ninguém me tira a minha l...

. Fazeres o que criticas no...

.arquivos

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds